Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias | Polícia

Crimes contra instituições bancárias em MT têm uma redução de 55% em oito meses

O levantamento por “modus operandi” registrou 73% de redução na modalidade abertura de parede

09/09/2019 | 15:30 - Atualizada em 09/09/2019 | 15:39

Assessoria/momentomt/Otavio Ventureli 0011914/MTE/DF

 
     Crimes contra instituições financeiras reduziram 55% em Mato Grosso no período de janeiro a agosto de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior.
 
     Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), que apontou que neste ano foram registradas 56 ocorrências, enquanto que o ano passado somou 126 casos.
 
     O número total de ocorrências contabiliza os dados de roubos e furtos tentados e consumados.
 
     O levantamento por “modus operandi” registrou 73% de redução na modalidade abertura de parede. Os 99 casos nos primeiros oito meses de 2018 passaram para 27 neste ano. Na modalidade de roubo a banco, a redução foi de 83%. Neste ano, foi registrado um caso. Já em 2018, foram seis ocorrências.
 
     Já os ataques a caixas eletrônicos somaram 25 casos em 2019, contra 17 no ano passado. O levantamento inclui todas as agências bancárias, cooperativa de créditos e empresa de transporte de valores.
 
     Uma das frentes de atuação para o enfrentamento aos crimes a instituições bancárias é o trabalho de inteligência e investigação pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil. Uma das delegadas da instituição, Juliana Chiquito Palhares, disse que a segurança pública tem atuado de forma integrada para prender os autores destes delitos.
 
     “Somente em uma das nossas ações conseguimos prender 10 indivíduos e recuperamos parte do dinheiro subtraído da agência bancária. E isso é sinal do trabalho efetivo de todos os órgãos que compõem a segurança pública. Essa redução de ocorrências envolvendo bancos ela se deve a este trabalho contínuo de todos os atores de segurança pública, aliado ao empenho de cada profissional e o serviço de inteligência”, enfatiza.
 
     Na área repressiva, a Polícia Militar tem intensificado as ações com bloqueios e barreiras, conforme informação do comandante-geral, coronel PM Jonildo José de Assis.
 
     “A Polícia Militar vem tentando combater esse tipo de ação criminosa através da potencialização do policiamento ostensivo motorizado. Nós temos agora a participação do comando especializado com equipes do Bope, da Rotam, equipes da Força Tática de Cuiabá e Várzea Grande e eles estão empenhados em fortalecer esse patrulhamento tático nos horários que são mais propícios a acontecer esse tipo de ação”, ressalta.
 
     Fazem parte das forças de segurança pública, a Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Politec, Detran, Sistema Socioeducativo e Sistema Penitenciário.
 
Sitevip Internet