Domingo, 22 de Setembro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias | Saúde

Segredos para uma boa confeitaria estão sendo repassados no curso do Qualifica 300

02/09/2019 | 20:59

asdas

José Ferreira

Clique para ampliar

Segredos, curiosidades e novas técnicas estão sendo os principais ingredientes do curso de Confeitaria que está sendo ofertado às moradoras do Pedra 90 dentro do cronograma da 2ª Edição do Programa Qualifica 300, em Cuiabá.

O projeto que tem como idealizadora a primeira-dama Márcia Pinheiro, sendo coordenado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano (Smasdh) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), tem como principal objetivo oferecer qualificação a população de baixa renda e com risco de vulnerabilidade. Essa turma está tendo aulas na Praça do Caique, no período matutino.

Joice Lombardi é uma das alunas. Em uma conversa informal, ela conta que aprendeu uma coisa que jamais poderia imaginar. Segundo ela, descobriu uma técnica para produzir brigadeiro, sem perder conteúdo e conseguir maior lucrativa. “Em toda minha vida, eu que já estou com 40 anos, mesmo tendo mãe e avó excelentes cozinheiras, não sabia que colocar uma pitada de trigo na massa do brigadeiro ajuda a não perder tanta massa. Com essa dica a gente perde menos, praticamente 100% de aproveitamento, pois o trigo dá mais consistência, ficando mais cremoso e fácil para manusear. São dicas que não se aprende no dia a dia. Essas técnicas são conhecidas só nesses cursos”, comentou.  

As atividades estão sendo ministradas nos três turnos (manhã, tarde e noite), com uma média de 20 a 30 participantes em cada turma. Nessa 1ª etapa, serão capacitadas 611 pessoas com término previsto para o dia 13 de setembro.

Esse segundo ano da ação está levando cursos profissionalizantes e de capacitação gratuita à população cuiabana, sendo ofertadas 3 mil vagas. A edição de 2019 conta com mais de 20 cursos das áreas de Alimentos e Bebidas, Construção Civil, Gestão, Tecnologia da Informação e Têxtil e Vestuário. Além disso, a modalidade de Aperfeiçoamento Profissionalizante passa a compor o rol de cursos de modo a preparar os alunos para o empreendedorismo.

A aluna Rosângela Martins, 37 anos, comentou o mesmo. Tudo que está aprendendo no curso é novidade. Para ela, algo que chamou a atenção e comentou que foram feitos testes para comprovar, é que para que um bolo, torta, salgado, seja o que for fazer, tem que seguir corretamente o que pede a receita. “Tudo tem que ser pesado ou medido. Pra se ter ideia, até a agua pesa. Isso me chamou a atenção, pois temos a mania de fazer tudo no olho, sem medidas certas. Estou gostando muito. Tenho certeza que vou ajudar na renda da minha família”, contou.

A instrutora do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Vera Volpato, especialista na área explica que o curso é 100% prático, sendo ensinadas receitas bem variadas, bolos, doces, tortas e salgados. “A pessoa tem que ter apenas força de vontade para aprender e querer mudar de vida. Além de aumentar a autoestima dessas mulheres e ainda conseguem ter um salário ao final do mês. Elas aprendem como dosar para ter o lucro garantido”, explicou Vera.

As primeiras unidades contempladas foram os Cras dos bairros Pedra 90, Osmar Cabral, Dom Aquino, Jardim Araçá, Getúlio Vargas, Praieiro, Nova Esperança, CPA e Drº Fábio com cursos de formação de Padeiros, Confeiteiros, Salgadeiros, Auxiliar de Recursos Humanos, Assistente Administrativo, Operador de Caixa, Recepcionista, Operador de Computador, Confeccionador de Lingerie e Costureiro de Vestuário.

Os critérios para o acesso ao ensino é possuir registro no Cadastro Único, porta de entrada para os programas sociais, e ter o Número de Inscrição Social (NIS). As aulas serão oferecidas pelos 14 Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e os dois Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), além da disponibilização de cinco carretas móveis equipadas, três a mais em relação a 1ª edição, para determinados cursos irem até os bairros, cumprindo uma das exigências da Prefeitura que é de levar os cursos até os bairros para facilitar o acesso.

“Quando idealizamos esse projeto, logo pensamos naquelas mulheres que, muitas vezes, se submetem a situações de violência psicológica, física ou sexual, chegando até sofrer feminicídio, pois por circunstâncias da vida não possuem muitas opções e acabam se sujeitando a dependência do marido. É principalmente nelas que pensamos em levar oportunidades para que possam ter a sua renda, a sua oportunidade e assim possui sua independência”, contou a primeira-dama, Márcia Pinheiro.

 
Sitevip Internet