Sábado, 17 de Agosto de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias | Polícia

Polícia quer saber se mulher de Sachetti que matou criança de 03 anos estava embriagada

Advogado diz que a mulher se ausentou do local do crime com medo de ser linchada

14/08/2019 | 06:27 - Atualizada em 14/08/2019 | 06:36

olhardireto/momentomt/Otavio Ventureli 0011914/MTE/DF

 
       A mulher do  ex-deputado federal  Adilton Sachetti, Lidiane Campos(foto), suspeita de atropelar e matar uma criança de apenas três anos, que estava em uma motocicleta com um casal, no último domingo (11), no cruzamento entre as avenidas 15 de Novembro e Tirandentes, em Rondonópolis MT deixou o local por medo de agressão de populares, segundo o advogado dela, Wilson Lopes. A Polícia quer saber se a "madame" dirigia embriagada ao volante.

      “Quando ela percebeu que algumas pessoas estavam vindo em sua direção, ela se assustou e entrou na primeira rua, que seria a contramão. Novamente, como as pessoas continuaram, ela seguiu. Estava com medo de ser agredida”, disse o advogado.

      Wilson ainda acrescenta que a mulher foi cercada por diversas pessoas, que começaram a bater nos vidros, inclusive utilizando um capacete. “Um cidadão que passava pelo local prestou socorro, retirou-a do seu veículo. Ele fez as ligações necessárias e comunicou o Adilton. Ele próprio, com o veículo dele, a levou até a casa do Adilton”, explicou.
 
      Ainda conforme o advogado, o fato de ela não ter parado no local exato foi pelo fato de ela descontrolar-se emocionalmente.

       O advogado ainda explica que quando chegou ao local do acidente, o local já estava cercado e a perícia encontrava-se realizando os trabalhos. Além disto, pontua que as vítimas já haviam sido socorridas, sendo que posteriormente todos foram informados da morte da criança de três anos.

      Diante da notícia da morte, o advogado explica que os policiais apresentaram a irmã da pessoa que pilotava a motocicleta e que ele disponibilizou seu meu nome e telefone.

      “O que pode se apreender de inicio foi que a Lidiane conduzia seu veiculo pela Tiradentes, sentido vila e após chegar justamente no único ponto naquela região que tem a sinalização de pare, visto que a Tiradentes nos demais pontos é sentido prioritário, reduziu a marcha para fazer a conversão à direita e quando ela o fez, surgiu repentinamente a moto, a qual colidiu no veiculo”, comentou o advogado.
 
Sitevip Internet